Livros interativos e a graça que eles vão perdendo com o tempo

by - julho 12, 2015

Créditos:Google 

Uma verdadeira avalanche de livros interativos surgiu no mercado nos últimos anos. Acredito que por causa de uma mulher chamada Keri Smith, todo mundo resolveu comprar um livro desses para aguçar a criatividade e se divertir. Claro que eu também entrei de cabeça nessa onda e garanti não somente um, mas dois livros interativos, e fiquei tão empolgada que estabeleci até uma meta para eles - mesmo prometendo não estabelecer metas para o ano de 2015.

O intuito era preencher os dois livros durante todo o ano de 2015. Lembro da minha empolgação ao comprar os livros, parecia que tinha encontrado água em São Paulo. Fiquei super feliz e queria responder tudo num dia só. O estranho é que após algumas semanas eu já nem lembrava tanto dos livros e eles ficaram jogados na prateleira, acumulando poeira. Algum tempo depois eu lembrei que eles existiam e resolvi dar uma nova chance. A empolgação foi a mesma do começo, só que desta vez durou apenas alguns dias. Não toco nesses livros há muito, muito tempo.

Eu continuo achando a ideia dos livros interativos muito boa. É uma forma de você construir o seu próprio livro. Por mais que tenha coordenadas de como seguir na construção das tarefas, as "respostas" que você dá às proposições são muito particulares, o que desperta uma criatividade e uma vontade de construir coisas novas. 

Mas, apesar da proposta ser muito boa, o que funciona para um pode não funcionar para outros. Definitivamente eu percebi que esses livros não servem muito pra mim. Eu não consigo me dedicar a eles da mesma forma que me dedico a um romance, por exemplo. Tá, minha gente, eu sei que são coisas diferentes. O que quero dizer é que a forma de entretenimento que os livros interativos propõem, não me satisfaz tanto quanto um livro "tradicional", um filme, uma música. Eu me divirto mais escrevendo no meu blog, por exemplo. Essas coisas aguçam muito mais a minha criatividade do que o preenchimento de um livro interativo. 

Quando surgiu os tais livros de colorir para adultos, fiquei super tentada a comprar (pra vocês verem que burrice não tem limite), passeava nas livrarias e namorava o "Floresta Encantada" um tempão. Só que aí a ficha caiu em definitivo e eu entendi que não adianta insistir. Apesar de gostar muito de pintar - culpa de Maurício de Souza e seus Almanacões da Turma da Mônica -, eu sei que comprar um livro desses é o mesmo que jogar no lixo mais de 30 reais. E a vida não tá fácil pra gente tá joganu 30 reais no lixo, né?

Decidi que, se batesse a vontade de pintar alguma coisa, eu procuraria na internet imagens para colorir e imprimiria. Pronto. Satisfaria a minha vontade e não gastaria um centavo, já que o papel e a impressora eram os daqui de casa mesmo. 

Outra coisa que me intriga é o fim que se dá a esses livros depois de preenchidos. Não é como "literatura tradicional", que você pode guardar para sempre e passar de geração pra geração, pra amigos, família, doar para bibliotecas e sebos. É um livro tão particular - mas que, na minha opinião, não se compara a um diário - e tão "limitado", de certa forma, que não tem nenhuma serventia assim que totalmente completo. Eu estou numa vibe bem minimalista e não vejo a necessidade de guardar esses livros pra ler no futuro e tomar banho de nostalgia. Não guardei minhas agendas da adolescência, por exemplo. Li todas elas, dei muita risada das bobagens, lembrei de muita coisa boa e depois joguei no lixo. Se algo, de fato, tivesse me tocado e me despertado a vontade de guardar pro resto da vida, assim o faria. Mas não acredito que nada do que eu possa escrever nesses livros me toque ao ponto de eu querer mostrar aos meus filhos e netos. Seria só papel entulhado em casa. 

Se você acha que eu só falei groselha até aqui e que esses livros são verdadeiras obras primas, ótimo. Cada um sabe a melhor forma de se divertir. Apesar deles não funcionarem pra mim, acredito que fazem diferença pra muita gente. 

E você, o que pensa sobre os livros interativos? Quantos já comprou? Já completou algum? Fala pra mim nos comentários. 

You May Also Like

6 comentários

  1. Como a colega daqui de cima, também não caí por eles. O máximo que cheguei foi naquele DESTRUA ESSE DIÁRIO, que eu fiz mais ou menos 1/3, e depois, lixo. O que me deixou com a consciência pesada. :(
    (Mas não comprei, foi de troca. Pelo menos isso.)

    Esses de colorir me dá aflição só de ver porque eu meio que tenho TOC: não pode sair do contorno, não pode ficar ficar parte sem colorir, não pode colorir com com força diferente e ficar tom diferente... Ou seja, ao invés de relaxar, já me vejo total estressada e depois sofrendo porque obviamente veria livros ARTISTICAMENTE COLORIDOS e eu sei que nunca chegaria nesse ponto e chegou depressão. (Me senti um pouco assim com o Diário.)

    ResponderExcluir
  2. Eu comprei só um, aquele "Uma página de cada vez". Quando chegou eu fiquei super empolgada, fazia todo dia, a cada minutinho livre. hahaha Claro que depois aconteceu o mesmo que aconteceu contigo: desanimei.

    A minha vantagem é que a proposta deste é mais sobre escrita e desenhos, então, de vez em quando uma situação me lembra do livro e pego pra preencher. Com certeza não vou terminar em um ano (que é a proposta), mas vou tentar não abandonar até terminar todas as páginas.

    Beijo ;*

    ResponderExcluir
  3. Livros interativos também não são pra mim. Minha irmã ganhou aquele do diário (Queime esse diário? Esse livro? Nem sei, haha!) e achei interessante, mas pensei com meus botões que eu não conseguiria me dedicar a eles. Minha irmã, depois de cinco tarefas, também largou, haha. Minha mãe foi uma que comprou o Floresta Encantada e o preencheu até o final. Achei curioso, mas é como você disse, cada um se adapta de uma forma à esses livros. Eu não me adaptaria e, assim como você, prefiro passar meus momentos de diversão com livros, seriados e filmes.

    Obrigada pela visita lá no blog!
    Um beijo! (:

    ResponderExcluir
  4. Eu até comprei um deles esses dias, que tem mais desenhos relacionados à arquitetura. Mas ainda não deu. :/

    ResponderExcluir
  5. Olha,
    Como disse alguém "Esses livros deveriam ser para acalmar mas você fica mais nervoso tentando pintar"
    Eu acho legal mas ia ficar louca tentando pintar os desenhos e frustrada se não ficasse bonito kkkkk dai eu não comprei nenhum até hoje, quem sabe um dia rsss

    ResponderExcluir