The best is yet to come

by - abril 25, 2015


A maior estrela da moda mostrou sua graça e beleza pela última vez nas passarelas. Muita gente ficou triste, alguns afirmam que jamais haverá outra igual. Mas o que ninguém contesta é o fato de que Gisele será sempre Gisele, não importa o que ela faça - ou deixe de fazer, neste caso. Numa analogia bem boba, assim como Gisele, a gente pode se despedir de muita coisa nessa vida, para que possamos ser ainda mais felizes.

Depois de meses pensando e pesando o assunto, resolvi pedir demissão do meu emprego. Já falei por aqui que eu não estava nada feliz com o trabalho, que ele em nada me preenchia. Muito pelo contrário, só me trazia aborrecimentos. Depois de pesquisar muito sobre essa tal felicidade (muito obrigada, Fernanda), percebi que continuar naquele ambiente só me deixaria mais estressada e infeliz. Decidi por A+B que essa seria a única solução para que eu tivesse uma vida mais tranquila. 

Antes de me parabenizar pela coragem, você precisa saber que eu saí sem nenhum tostão no bolso e nenhum outro emprego em vista. Uma loucura total. Claro que eu tenho a sorte de ter uma família que me apoia 100% nessa decisão e que me ajudará na questão financeira, mas não deixa de ser uma loucura. Eu trabalho desde os 19 anos, me acostumei a não ter que pedir dinheiro aos meus pais para satisfazer os meus caprichos. Como disse ao meu namorado, tenho 25 anos e parece muito errado ficar desempregada por opção. 

Mas por mais que vocês pensem que fiz o que fiz no calor da emoção ~ o que seria impossível, já que sou capricorniana ~, por impulso e imprudência, saibam que eu já tinha adiado essa decisão umas três vezes e só o que me faltava era coragem. Depois de passar por picos de estresse e crises de choro, conversei comigo mesma e a minha alma implorou por essa decisão. Pode até parecer errado ficar desempregada aos 25 anos, mas não parece mais errado do que se rastejar infeliz por um salário que precisa se esforçar muito para ser ruim. Não quero parecer mal agradecida, já que tem tanta gente aí precisando de um trabalho e eu rejeitando o meu. Não vou dizer que o salário não me ajudou a comprar muita porcaria, porque seria mentira. Mas não há nada que eu queira comprar que seja mais importante do que a minha paz e a minha felicidade. Nesse quesito, minha gente, eu tô com a Mastercard, também acho que não tem preço.

Se antes eu me sentiria culpada por essa decisão, hoje já tenho a certeza de que fiz o que era melhor pra mim. Sei que vou passar por uns perrengues aí, que vou virar uma filhinha da mamãe (só que não) e que pode até ser bem difícil conseguir outro emprego. Mas o alívio que o meu coração sente neste momento é inexplicável. Espero que essa decisão me torne uma pessoa melhor, já que foi bem difícil de ser tomada. No fundo eu sei que se despedir de uma coisa que nos faz mal só pode trazer benefícios à vida, mas aquele medinho do inesperado ainda insiste em continuar aqui pelo peito. Como diz uma amiga minha: "Mari, a gente tem que viver um dia de cada vez". Concordo. The best is yet to come.

Crédito da imagem: Google

You May Also Like

2 comentários

  1. Não vou te dizer que te invejo, pra não pegar mal, mas olha... te invejo! Acabei de comentar naquele seu post de 2013 falando que odiava seu emprego e putz, me reconheci tanto.
    Só digo que você fez bem porqur quanto mais o tempo passa, mais fica difícil largar e mais pesado o fardo fica. Me disseram que eu ia estagnar na vida quando pedi transferência pra onde estou no momento e nossa, a pessoa acertou em cheio.

    Foda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, D, tudo bem? Gostaria de te responder de forma mais bacana, mas vc não deixou nenhum contato.
      Então, é complicada mesmo essa situação. Não foi uma decisão fácil, mas foi preciso, sabe? Quando a gente tá esgotado, não tem pra que insistir. Claro que eu não conheço os seus motivos de continuar neste emprego que não te faz bem. Eles só dizem respeito a você. Mas se eu puder te dar um conselho - mesmo você dizendo ser mais velha que eu -, digo pra não ter medo. Ou melhor, tenha medo, mas tenha medo de continuar onde está. Faça uma outra escolha pra sua vida. Escolha ser feliz ;)

      Excluir