É tudo questão de sorte

by - julho 07, 2014

Imagem: Google

Ou 'Porque eu tô perdendo o gosto pela profissão que escolhi'

Não sei você, mas eu entrei na faculdade com a certeza de que estava fazendo a coisa certa da vida. Melhor ainda, eu sabia qual área exatamente - dentre as milhares que a publicidade pode oferecer - seria a minha queridinha. Tudo daria certo e eu me tornaria uma redatora bem bacana. Dois anos depois e toda aquela certeza de outrora já não existe mais.

O problema não é somente a 'Redação', mas a Publicidade. Antes que me perguntem se eu pretendo desistir do curso, agora que está caminhando para reta final (lá na faculdade o curso dura 3 anos e meio), logo respondo que não. Vou até o fim. Já desisti de muita coisa na vida e agora é uma questão de honra terminar esse curso. Não vejo a hora disso acabar. E, apesar de tantas dúvidas, eu gosto muito do que eu estudo. Quisera eu estudar para o resto da vida, sem precisar mergulhar na cova dos leões, ou mercado de trabalho, como queiram. O negócio é que estou bastante desestimulada, com a sensação de que isso não é pra mim, de que a publicidade é para quem tem talento e, principalmente, SORTE. 

Tenho talento pra isso? Não sei. Tenho sorte? Definitivamente não. Uns dizem que talento não existe para quem não persiste. Tá, vai, eu até concordo, mas já vi tanta gente talentosa e esforçada que nunca consegue nada do que sonha. Não é por falta de talento, não é por falta de esforço. É sorte. Ou melhor, a falta de sorte. Escolhi viver em um meio onde sorte é sinônimo de sucesso. Talento é brinde. 

Você sabe que eu não preciso provar nada disso. É um fato. Quanta vergonha alheia você já passou ao ler textos deprimentes de grandes portais de comunicação? Quantas vezes já desligou a TV por não aguentar o mal gosto dos comerciais? Quantos diálogos horrorosos de novela nos fazem mudar de canal? Quero deixar claro que a minha intenção aqui não é assinar atestado de competência e de superioridade. Longe de mim, sou só uma estudante, tenho muito ainda o que aprender. Não tenho vergonha nem medo de admitir meus erros, mas não dá pra fingir que tem muita gente incompetente coberta de sorte por aí.

Vocês devem estar se perguntando se eu não me encontrei, e tive respostas para as minhas dúvidas, nos estágio da vida. Aí, minha gente, eu que pergunto: Que estágio? Nem conto a quantidade de currículos que enviei para tudo o quanto é agência desse Recife. Ninguém quer contratar uma estudante de publicidade que gosta de escrever e tem muita vontade de aprender tudo sobre o mundo publicitário. Eles procuram um estudante de publicidade que já tenha passado pela Google e Microsoft, no mínimo. Que já tenha batido um papo com o Mark, quiçá criado o Facebook com ele.  Ou, simplesmente, seja o filho do amigo da empregada do dono da agência, que sabe mexer no paint. 

Eu acho bacana quando os próprios funcionários da empresa indicam alguém, afinal, são pessoas que também estão na luta e merecem uma oportunidade. Só que existem tantas outras que morrem de enviar currículos, tão boas ou melhores do que o primo do amigo do vizinho do RH da empresa, e que não tem a oportunidade de mostrar a que veio. É, o mundo é injusto, não adianta mimimi. 

Só sei, queridos, que nada sei. Tô num desespero só, numa ansiedade sem tamanho. Um medo de estar só perdendo tempo na vida, de que isto não é pra mim e de que só estou insistindo porque sou teimosa (e burra). Medo de terminar o curso sem estagiar e sair andando com o diploma (que já nem serve pra nada, convenhamos) na mão em direção a um mercado de trabalho que não dá a mínima pra 'gentinha sem experiência'. 

Ai, tudo seria tão mais fácil se eu já tivesse ganhado uma única rifa que fosse na vida. Não sei se tenho talento, mas já deu pra perceber que não tenho sorte. Lasquei-me.

You May Also Like

5 comentários

  1. Mari, ó, já estive aí onde você está e digo apenas: calma.

    Uma hora a coisa acontece. O começo é sempre difícil mesmo, as agências relutam em dar uma oportunidade porque já querem quem entenda do riscado. Mas fica de olho nesses programas de estágio que rolam nas agências grandes e no Gogojob, que alguma hora vai surgir uma vaga legal. Surge pra todo mundo, don't worry.

    Eu e meus amigos de turma passamos por essa crise um tempinho atrás, mas todos conseguimos desenrolar algo. Se eu souber de alguma oportunidade, pode deixar que eu aviso.Também sou redatora. ;)

    Outra coisa: não precisa ficar preocupada com o fator 'talento' e/ou 'responsabilidade' sobre o resultado final. Geralmente tudo em publicidade se faz em equipe, passa por um gestor ou gestora, etc. Você dificilmente vai ter que se virar completamente sozinha. Fica calma, que é menos bicho de sete cabeças do que parece, te garanto.

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Mari, também sou formada em publicidade. Meu curso era de 4 anos e só fiz estágio no 4o. ano. Fui estudar espanhol em Madrid nas minhas férias entre o 3o. e o 4o. ano e lá e participei de um programa de curso + estágio. Na volta consegui um estágio em uma agência de marketing promocional, porque um amigo meu da faculdade estagiava lá. Quando me formei fui efetivada, e depois pedi demissão porque me sentia escravizada. Fiquei uns 4 meses mandando currículos feito doida, até que um colega meu me indicou para uma colega dele que estava saindo de uma agência, e a menina me indicou pra vaga (de assistente de produção gráfica) sem nunca ter me visto na vida, e deu tudo certo. Então nessa parte te digo, tenha calma e bons amigos!

    Sobre o resto não posso te falar muito, porque eu nunca fui bem resolvida com essa profissão e acabei mudando de área. (sim, encarei outra faculdade MUITO mais puxada, e hoje, 6 anos depois, sou arquiteta, urbanista e mais feliz).

    Mas não desanime. Se quiser conversar mais, pode me escrever ronise@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Nem tudo são flores querida, mas tenha paciência, continue na luta. Todos estamos nela.
    Talvez essa sorte a qual você se refere seja só uma oportunidade. Uma dica que te dou é conhecer mais gente. Quanto mais pessoas você conhecer e mostrar seu interesse, mais fácil vai ser de alguém te indicar!
    Beijos

    Identidade Aleatória

    ResponderExcluir
  4. É preciso QI "quem indicou" moro em uma ilha e sei bem como é isso... Nada é perda de tempo e sim aprendizado calma que uma hora acontece.

    ResponderExcluir
  5. De uma sem sorte com talento para outra sem sorte com talento: Nos lascamos. Mesmo.
    Quando você diz: "Você sabe que eu não preciso provar nada disso. É um fato. Quanta vergonha alheia você já passou ao ler textos deprimentes de grandes portais de comunicação? Quantas vezes já desligou a TV por não aguentar o mal gosto dos comerciais? Não dá pra fingir que tem muita gente incompetente coberta de sorte por aí." - só diz verdades. E é exatamente essa teoria que eu venho defendendo desde sempre. Não é talento, é sorte. E quando eu posto isso no blog, sempre tem um anonimo pra me chamar de egocêntrica ou de recalcada. Mas eu não me incomodo em dar minha opinião porque um covarde ou outro dá uma respostinha de efeito sem mostrar a cara. Enfim. Só me empolguei com o comentário porque me identifiquei infinitamente com tudo que você disse. E um conselho (por mais que você não tenha pedido): se você tem CERTEZA de que não é pra você, sério, larga. Não adianta terminar um curso que você não quer, e que não vai usar, só porque está no final. Isso sim é perda de tempo. Já que você não nasceu com sorte, pelo menos corre atrás da felicidade. Fica bem, viu. Nem preciso dizer que adorei o post rs bjão

    ResponderExcluir