23 novembro 2013

Pobre classe média

Imagem: Google

Vocês já estão cansados de saber que faço parte da classe social que abre crediário nas Casas Bahia, né? Ok. Só que eu trabalho e estudo e passeio e conheço pessoas que são bacanudas, que pertencem a classes sociais que compram PS4 à vista (cof, cof). Pessoas que frequentam hipermercados e nunca entraram num mercadinho de bairro, simplesmente por não existir mercadinho de bairro nos bairros onde moram. O que é uma pena, cara. Sério, morro de pena dessas pessoas que nunca saberão o que é ter a praticidade de comprar um Nissin Miojo sem enfrentar uma fila quilométrica. 

E é exatamente sobre isso que se trata o post de hoje. Dia desses, quando saí do trabalho, dei uma passadinha no supermercado Extra pra fazer um lanchinho. Não sei como funciona em outros estados, mas aqui o Extra tem uma lanchonete própria, localizada no interior do estabelecimento. Beleza. Estava eu lá saboreando um sanduba de atum quando avistei uma moça na fila dos caixas para pequenas compras. Antes, preciso informar que o supermercado fica localizado num desses bairros bacanas, desses que não tem o prazer de abraçar um mercadinho. Então, a moça tinha nas mãos dois pacotes de macarrão espaguete e dois pacotes de biscoito. Até aí, tudo bem. O problema é que a fila dos caixas começa de um lado do supermercado, que é imenso, e a lanchonete fica do outro lado. Ou seja, a pobre moça enfrentaria uma fila gigantesca pra passar quatro míseros produtos. 

Ok, ok, eu já bebi dessa água, mas pelo simples fato de 1) não ter encontrado o produto no mercadinho que fica na esquina de casa e 2) não tinha mercadinho onde eu estava. Passo pelo Extra sempre, já que é bem próximo da faculdade onde estudo, e não poucas vezes tive uma vontade louca de comer chocolate, por exemplo, mas quando dou uma mirada no tamanho da fila, meu desejo vira pó. Gente, a moça só queria macarrão e biscoito, mas teve que enfrentar a fila do cão pra conseguir levar pra casa os produtos. Não dá uma pena? 

Por quantas coisas mais a classe média tem o desprazer de passar somente por ser classe média?

PS: Uma amiga me lembrou que nesses bairros bacanas até tem mercadinhos e padarias, o que facilitaria a vida da moça da fila em 100%. Mas os preços, bebê, espantam até a classe média. 

Imagem: Google

5 comentários:

  1. sei como é ...
    deixei de fazer compras no supermercado grande depois que abriram uma vendinha aqui perto de casa. é pequena, mas tem as coisas básicas.

    e outra: esse lance de lista nunca funcionou comigo quando vou em hipermercado. Sempre acabo comprando mais do que devia. Provavelmente pela ganancia dos meus olhos que são atraídos pelo mar de opções desses mercados gigantes

    ResponderExcluir
  2. Aqui em Salvador, acontece algo engraçado: existem mercadinhos de bairro, com preços mais elevados do que os hipers da vida. Aqui também tem Extra, embora fique longe de minha casa. O mais perto é o Bompreço - uma filial da Walmart que, depois que a walmart comprou, virou uma bela de porcaria de hipermercado. No "caixa rápido" só funciona uma caixa.
    Segundo os jornais locais, a Walmart pretende fechar várias filiais aqui no Brasil. Que assim seja.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Já passei bastante por isso, as vezes ta vontade de desistir de comprar tal coisa pelo tamanho da fila, e eu tenho o azar de não ter um mercadinho perto de casa, só padarias (que as vezes até quebram o galho).

    opsthisisme.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Eu gostaria muito de fazer uma parceria com você, admiro muito seu blog! Mas estou sem banner no momento, porque meu editor parou de vez, algum problema? Bom, muito obrigada desde já! :-)
    http://pr0-misess.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Mariany Gomes © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.