11 fevereiro 2013

Ignorância define

Imagem: Tumblr

Segundo o site Brasil Escola , Xenofobia se caracteriza pela aversão e a discriminação dirigidas a pessoas de outras raças, culturas, crenças e grupos. Isso como forma de preconceito, já que o significado da palavra xenofobia, pra quem não sabe, dependerá do contexto em que ela estiver sendo usada. Como meu objetivo aqui é falar justamente do preconceito, a explicação em itálico se encaixa melhor.

 Graças a internet, tive a oportunidade de conhecer pessoas de vários lugares do Brasil e do mundo, sempre no intuito de fazer novas amizades. Diferente de mim, infelizmente, algumas pessoas usam a internet para denegrir e humilhar os que não fazem parte do mesmo grupo social e cultural que o seu. E aí eu me pergunto: Qual o motivo para tanta aversão ao que é diferente? Devo acrescentar mais um trecho do texto que li na Brasil Escola que diz que em seu sentido mais restrito, xenofobia é como um medo excessivo e descontrolado do diferente, do desconhecido. Esse medo pode ter se desenvolvido após um período de exposição a alguma situação, objeto ou pessoa desconhecida. Claro que esta explicação restringe-se às pessoas que foram expostas a situações desagradáveis e, a partir dali, diagnosticadas com esta doença. Completamente diferente de certos idiotas que, com tamanha precisão (suposta precisão), depreciam aqueles que não o circundam.

 Como disse, fiz vários amigos de várias partes do Brasil. Como nada é perfeito, uma dessas amizades me deixou um tanto triste justamente por não ter essa ''sensibilidade'' ao diferente. Essa pessoa que conheci é paulista e em uma de nossas conversas, depois de várias risadas por causa do meu sotaque e vocabulário, eis que pronuncio a palavra 'tomate'. Todo são brasileiro, que já passou pela educação básica e não só esquentou cadeira, mas realmente assistiu as aulas de português, sabe que existe algo chamado ''Variações Linguísticas''. Ou seja, não existe o 'falar errado', o que existe são variações na língua, dependendo do grupo social/cultural em que o indivíduo está inserido. Eu sou Pééérnambucana (com muito óóórgulho!), portanto falo ''Tomati'', não ''Tomatche''. Pronto, essa simples palavra virou o assunto principal da nossa conversa, ou melhor, a pontinha que faltava pra ouvir coisas do tipo: ''Você fala errado, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk''
¬¬'.
Como vemos o tempo todo na televisão paulistas apresentando jornais, programas, atuando em novelas, alguns de nós acham que aquele é o jeito certo de falar. Para estes desavisados, eu aconselho voltar à escola ou correr atrás de um livro de gramática.

 Há um tempo atrás, uma certa estudante de direito de São Paulo (que isso fique bem claro) falou o que não devia no twitter e foi parar na delegacia. O povo elegeu Dilma Rousseff presidente e a linda estudante de direito paulista (que isso fique bem claro) usou os seus lindos e ricos dedinhos para twittar o seguinte: Nordestino não é gente. Faça um favor a São Paulo, mate um nordestino afogado. Eu duvido muito que este ser humano já tenha vindo ao nordeste, eu duvido muito que este ser humano conhece um nordestino, eu duvido muito que este ser humano já tenha sequer saído da sua coberturazinha nos Jardins (eu não sei se ela mora lá, tô chutando um bairro chique) pra dar uma volta na periferia de de de de????? São Paulo!

 Em janeiro deste ano, o Brasil parou pra acompanhar a tragédia em Santa Maria/RS e, em meio a mortos e feridos, alguns gaúchos de corpo, alma e coração levaram ao primeiro lugar dos TT's, no Twitter, a hashtag ''orgulho gaúcho''. Eu não viria nenhum problema nisso se as manifestações fossem tanto para exaltar a força que tiveram para se reerguer, quanto para agradecer os outros milhões de brasileiro que, de uma forma ou de outra, também ajudaram aquelas pessoas. Uma certa moça gaúcha chegou a comentar que Santa Maria só se reergueu porque está no Rio Grande do Sul, caso não fizesse parte deste estado, estaria perdido, já que no resto do Brasil nem médico tem. Só deixa eu lembrar uma coisinha: Pernambuco, ou seja, O RESTO do Brasil, foi um dos estados que mais doou pele e sangue às vítimas do incêndio. Peraí, peraí, peraí... Como que essa pele e esse sangue apareceram lá? Mágica? Não, não, nós arrancamos nossa pele e tiramos nosso sangue, colocamos numa caixinha do Sedex e enviamos. Sim, sim, sim, realmente, O RESTO do Brasil não tem médico =)

 Um certo músico, de uma certa banda super colorida, disse que queria muito fazer um show em Manaus. Ótimo, né? Os fãs manauaras ficaram felizes e empolgados, mas só foi ele concluir o raciocínio pra todo mundo ficar triste de novo. Segundo o cara, eles adorariam tocar lá, pois seria irado fazer um show pros índios. Meu filho, eu, sendo manauense, não queria que você pisasse no Amazonas. E eu, sendo índio, teria vergonha de ter você como descendente.

 Enfim... Tirando o último caso, que eu só pontuei por ser algo engraçado e um exemplo de que muitas vezes é melhor ficarmos calados, os outros exprimem bem a minha indignação com a tal da xenofobia. Quer dizer, prestando bem atenção nesses casos e nos incontáveis que vemos pela internet, percebi que isso nem é tanto xenofobia. Essas pessoas não são nada menos que ignorantes. Nunca conviveram com o diferente para julgarem-se melhor. E como julgar-se melhor se não há equidade? Como comparar coisas distintas? É sem noção. Engraçado que é esse mesmo povo que bate no peito e se diz leitor, se diz intelectual, se diz inteligente. Imagina se não fosse?

7 comentários:

  1. Quem faz isso pra mim é no mínimo burro, mesmo. Ignorante como você disse. E uma realidade triste é que o brasileiro é extremamente xenófobo, principalmente quando se trata de falar sobre o Nordeste, como se tudo isso aqui fosse só praias, selva e gente que não tem educação. Prova de quem nunca sequer chegou perto daqui, nunca sequer se informou sobre, apenas tem na violência das palavras algo que acham ser motivo pra se orgulhar. Pobres são eles. De espírito, de educação, de inteligência, e eu não terminaria esse comentário se fosse enumerar mais coisas.
    Eu também vi outra coisa que me chocou muito no twitter no dia do desastre em Santa Maria. Muitos nordestinos estavam rindo horrores porque eles sempre faziam chacota do nordeste, e agora estavam tendo o que mereciam. Acho que essa piada não cabe no meio de tanta dor. Não podemos revidar ódio com ódio, preconceito com preconceito. Não é isso que vai mudar.
    Eu sei que também tem gente boa em toda a parte do país, também fiz muitas amizades assim. E ainda bem que existem, nos faz ser pelo menos um pouco mais esperançosos diante desse quadro revoltante.
    Belíssimo post!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, Mari, FALOU TUDO. Meu Deus, como existe gente panaca nessa vida! Fico realmente perplexo quando vejo que as pessoas não respeitam umas às outras! Depois ainda são ~~inteligentes~~ porque são humanos. Muito pelo contrário! Atitudes como a dessa guria do RS e da menina de direito são exemplos óbvios do quão imbecil o ser humano pode ser. Será que não dá pra parar um segundinho pra pensar que nós somos iguais nas nossas diferenças? Será que ninguém pensa que a região onde moramos não define quem nós somos? Pfvr, como o título do seu texto diz, "ignorância define". Xenofobia deveria ser crime inafiançável, pra esse povo se mancar de uma vez que isso é completamente errado e desumano!

    Revoltadíssimo. hahahahaha Arrasou MUITO, Mari. Amei seu texto!

    Beijo! :*

    ResponderExcluir
  3. To de "boca abrida" como diria a minha avó.
    Agora falando sério, santa ignorância mesmo uma pessoa se achar melhor porque mora no Sul do país ou SP ou aqui em MG ou escambou.
    Não conheço o Nordeste, mas meu pai viaja sempre pra ai e fala super bem das pessoas, até mais bem do que das do Sul.
    Acho que quem fica assim além de ignorante não tem nada pra fazer na vida.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Concordo em gênero, número e grau.O Brasil devia ser mais unido em pró do pais, mas parece que cada estado da mais preocupado em se sobressair (sei lá onde e porquê). Quando subiram essa tag no tt li coisas do tipo "devia tornar RS um pais" porém sozinhos não teriam a força que o resto do Brasil deu a eles para superar a tragedia em Santa Maria.

    ResponderExcluir
  5. Eu amei seu texto. Eu tb não entendo bem esse pessoal que tem preconceito com o que nem conhece. A maioria dos gauchos são assim , e digo a maioria SIM pois é isso que tenho visto, mas claro, não são todos. Assim como não são todos os paulistas que agem como aquela menina no twitter. Eu particularmente adoro sotaques diferentes do meu, o sotaque baiano é uma delícia, assim como muitos outros que por serem diferentes do meu, se tornam tão interessantes. Mas é uma pena que muita gente não vê dessa forma.

    ResponderExcluir
  6. Já faz mais de meia hora que estou lendo seus textos. Me apaixonei pelo moodymari! Quando vi que você é colunista da Revista 21 então...

    Quanto ao texto, concordo com cada palavra. Santa ignorância! Nasci em Brasília, mas devido a casos e acasos da vida acabei me mudando para João Pessoa-PB e no final do ano estarei me mudando para Manaus-AM (onde estou passando minhas féria). Passei grande parte da minha vida ouvindo falar sobre o tal preconceito com os nordestinos. Mas de um tempo pra cá percebi que isso acontece com todos e para todos os estados do Brasil, uma coisa que acho muito estranha.

    O que é mais perceptível em tais casos de preconceito e xenofobia, é que as pessoas dizem barbaridades por pura igorância. Quando disse aos meus amigos que viria passar minhas férias em Manaus, foi causado um grande espanto. "Então Camilla, você vai passar suas ferias no meio do mato com os índios?" disse-me um caro amigo pessoense. A vontade que tive de dar uma aula para aquela pessoa, e mostrar que Manaus é uma metrópole, maior que João Pessoa, tão desenvolvida quanto sua pequena cidade foi grande mas consegui me conter.

    O que mais me indigna é que a minha geração (tenho 18 anos) que diz ter orgulho de ser a geração da comunicação einformação e que passa 500 mil horas na internet ainda se deixa cometer um barbaridade e dizer algo tão preconceituoso como isso. E pior, essa não foi a única vez. Já ouvi muitas coisas como Brasília só tem ladrão, Minas Gerais só tem roceiro etc.


    Sinceramente...
    Camilla
    qualecamis.blogspot.com

    ResponderExcluir

Mariany Gomes © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.