Padrão de beleza capilar: Que grande bosta!

by - novembro 13, 2012

Imagem: Tumblr

Claro que todo mundo tem suas preferências, mas é incrível como um dos motivos para descartar alguém é essa pessoa não ter o cabelo liso e comprido.

O cara tá numa festa e duas garotas dão mole pra ele. Uma é morena, cabelo comprido, liso, todo trabalhado no babyiss. A segunda é loira, cabelo curto, cacheado, natural. Pra quem você acha que ele piscará primeiro? Acertou se você disse que é pra morena. Não importa se a loira é mais legal, mais bonita e mais interessante, ela não tem o cabelo liso e comprido. Já perde, de cara, 70% das chances. Não é exagero e você sabe disso.

Não sei se vocês se lembram, mas eu tive um grande problema com meu cabelo há alguns meses e, por isso, tive que cortá-lo bem curto. Sou adepta aos alisantes e tinturas e isso detonou meu cabelo. Sinceramente, depois do corte, senti uma grande diferença nos olhares alheios. As mulheres já não olham, não mais ''invejam'' (se é que um dia já invejaram) e os homens agora fazem de conta que eu não existo. Teve um que quase sentava em mim. Ôoouu, será que fiquei invisível depois que cortei o cabelo? O que quero dizer é que continuo a mesma pessoa, mas isso já não importa pra ninguém. Porque eu não sou mais tão ''bonita'' como eu era antes.

Não serei hipócrita, meu cabelo mexe muito com a minha autoestima. Se tem uma coisa que eu gosto de ''lamber'' (sinônimo de 'deixar impecável'), como diz minha mãe, é meu cabelo. Quando o vi descer pelo ralo, quase morro, porque eu sabia que ali ia embora 80% da minha beleza. E o que sobra? A beleza interior. E quem está interessado em beleza interior? Ninguém. Claro que se eu fosse Emma Watson, tudo estaria bem, já que eu seria linda e meu cabelo seria somente um detalhe.

Mesmo que eu fosse doutora em Havard, entendesse e soubesse jogar todos os jogos do PS3, 2, 1, Super Nintendo, Nintendo Wii, Xbox, Sega, Atari, mesmo que eu tivesse lido toda a biblioteca do congresso em Washington. Mesmo que eu fosse uma hacker, soubesse de cor todas as falas de Pokémon, Harry Potter e Star Wars, mesmo que eu escrevesse em blogs geek e fosse ovacionada por meio mundo de nerds, mesmo que eu tivesse um wayfarer preto RayBan original ou um daqueles que parece os do Harry Potter (RayBan original, lógico), nada disso me faria mais interessante que uma outra pessoa de cabelo liso e comprido. Afinal de contas, tudo gira em torno da aparência. Até pra conseguir um emprego, você precisa se adequar a um determinado padrão de beleza. E eu agradeço todos os dias por ser concursada, ou estaria fu-di-da!

Só quem gostou do meu cabelo curto foi minha mãe, mas não conta porque ela gosta de mim de qualquer jeito (menos quando eu invento de pintar o cabelo com uma cor escura, ela prefere claro). As outras pessoas olham torto, não me reconhecem e até riem da minha cara. Até meu namorado torceu o nariz (mas já tá tudo certo porque ele já viu e não me jogou às moscas) e eu fico pensando até que ponto a aparência física pode interferir num relacionamento. Afinal ele tem suas preferências e nenhuma delas chega perto do jeito que eu estou agora.

Enfim, depois dessa experiência com o cabelo curto, comecei a refletir sobre como as meninas que são adeptas ao corte se sentem. Será que sofrem preconceito, ou eu que sou muito paranóica? Os caras realmente preferem as de cabelão? E as que tem cabelo comprido, sabem da vantagem avassaladora? Já pensaram em radicalizar e cortar curto? Todo mundo concorda que essa ditadura de beleza capilar deve cair?


You May Also Like

4 comentários

  1. Mari, relaaaaaxa, acho que tu tá é paranoica com isso de cabelo curto e tá achando que perdeu o 'charme' ou que tá parecendo desinteressante. Beleza é fundamental, mas você não deixou de ser bonita só porque o seu cabelo 'encurtou'. O seu rosto permanece bonito, o seu sorriso, você permanece magérrima estilo top model. Relaxa e desencana disso. Você é lindona e arrasa.

    E, olha, sinceramente, eu tô pouco me lixando pra tendências da moda, pra se esse negócio de tamanho de cabelo interfere ou não em como os outros me veem. Eu realmente dou mais valor para o interior, para o que a pessoa é de verdade, para os atos, para o sentimento que a gente guarda no coração. Sei que é um discurso bonito e até meio utópico, mas eu realmente penso assim. Sou uma sonhadora, uma desapegada ao físico. Interesso-me pelo que transcende o corpo. Interesso-me pelas coisas da alma.

    KEEP CALM AND SOSSEGA O FACHO, MARI!

    hahaha

    :*

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho uma teoria (mwahaha~): os homens preferem as mulheres de cabelo comprido porque têm medo das de cabelo curto. Simples assim. Mulher de cabelo comprido é a coisa mais normal, sempre com aquele corte, sempre daquela maneira e assim o usa como forma de sedução, porque essa é a via "natural" da coisa (to generalizando horrores, mas relevemos). Já mulher de cabelo curto é diferente, sempre foi. O que uma mulher, seja lá qual for a época, faz quando quer se sentir independente, livre? Corta cabelo. Curto. Porque o curto faz a mulher se livrar de todas aquelas amarras que a obrigam ter que ter aquele tipo de cabelo pra conseguir se garantir entre os homens.

    Mas, saindo um pouco do meu tom de quase protesto com as mina dos cabelo comprido, esse negócio de ter cabelo curto te obriga a ficar mais feminina. Senão pode parecer uma, hm, machorrinha, haha. Eu e minha irmã temos cabelo curto, aí já nos pararam (!) pra perguntar há quanto tempo a gente tava juntas, no sentido de casal mesmo (!!!).

    MAS ENFIM, amo cabelo curto e também amo quem ama cabelo curto, e acho a coisa mais linda do mundo quem tem uma relação de paz e harmonia com o próprio cabelo (principalmente quem assume os cachos ou o cabelo afro que tem). Uma lindeza isso.

    Beijos <33

    ResponderExcluir
  3. Sempre adorei cabelos curtos. Na minha infância, fazia minha mãe cortar o meu no ombro e como sempre foi ondulado, ele encolhia e ficava tipo "capacete" (ria de mim, Mari). Sim, tenho foto, mas nunca mostrarei, porque ô mico. Continuo adorando, fato. Ano passado me arrisquei a cortá-lo novamente assim, só que mais moderninho. E ficou uma graça. Queria cortar mais, mas pra cabelo ondulado é uma bosta, tem que estar sempre em manutenção, usar os produtos certos e blablablá. Deixei crescer.

    Pra mim, cabelo curto sempre foi demonstração de personalidade forte. Sei que você cortou por um probleminha... Mas acho que essa coisa de "a moda agora é..." e "homem só gosta de mulher de cabelo..." é uma merda. Ficamos dependentes, querendo ou não, de opiniões alheias.

    Enfim, isso me fez pensar sobre garotas de óculos e a nova onda do "sou nerd/ geek". Me dá raiva, meninas como eu que usam por necessidade não chamam a atenção de fato, meu povo. Já sofri muito bullyng por isso. E sempre tem alguém pra me dizer "por que você não usa lente?". Depois vou até escrever a respeito. rs

    Beijo!
    P.s: já disse, tu ficou gata de cabelo curtinho, hum! ;)

    ResponderExcluir
  4. Cortei o cabelo curto faz 1 mês e foi difícil, viu. Beeem difícil. Agora eu amo meu cabelo assim, mas não sei se consigo usar o curto para sempre. Eu tenho cabelo crespo e sempre quis ter cabelo liso, quando criança sofria com amiguinhos caucasianos rindo do meu cabelão comprido e armado, quando fiz 14 anos pedi 1 definitiva pra minha mãe de aniversário. Usei meu cabelo liso até os 19 até que cansei! Cansei mesmo, liguei o foda-se. Cansei de ter que ir a cada 2 meses retocar a porra da raíz crespa, cansei de ter que pintar o cabelo pq a definitiva desbota e deixa sem vida os fios castanhos claros, cansei de pagar hidratações pós-química, cansei de fazer escova 3 vezes por semana porque meu cabelo era comprido e volumoso MESMO com 5 anos de química alisante nos fios. Resumindo: CANSEI DE SER ESCRAVA DO MEU PRÓPRIO CONCEITO DE BELEZA. Eu simplesmente não saía de casa sem estar com o cabelo em dia, eu anulava a minha vida. Até que tive a atitude radical de ficar 6 meses sem retocar a raíz e viver de cabelo preso. Minha mãe (adepta do alisamento desde o meu nascimento) foi contra HAHAHAHA. Depois de 6 meses amadurecendo a idéia, 6 meses com o cabelo 'bandido', eu consegui criar coragem de cortar chanel. Foi 1 choque. Mas foi o 1 passo pra conseguir encontrar meu eu-capilar.

    ResponderExcluir