Muito além da coroa.

by - agosto 23, 2012

Imagem: We Heart It

Se tem uma coisa que eu gosto muito é de desenho animado. Assisto mil vezes o mesmo filme, sem a mínima vergonha de saber de cor todas as musiquinhas que os personagens cantam. Acho que já vi quase todos (falta Wall-E e Valente, por incrível que pareça) os filmes da Disney. Meu irmão baixou alguns, comprou alguns e alugamos outros tantos, tudo pra não perder nenhum minuto desse universo encantado.

Apesar de adorar esse mundo mágico, não sou muito fã de contos de fadas. Pelo menos, não os que mostram princesas fofinhas e sofredoras que sonham o tempo todo com um príncipe encantado. Não importa se tudo acaba num 'felizes para sempre', essas histórias, apesar de lindas, não são lá bem contadas. Claro que falo no sentido educativo, se é que contos de fadas são educativos. Mas deveriam ser.

Bom, o fato é que isso vem melhorando de um tempo pra cá. Desde 'Branca de Neve', muita coisa mudou. As mulheres já não são mais o sexo frágil (se é que já foram algum dia) e os estúdios já sacaram isso. Não faz muito tempo, entrou em cartaz no mundo todo o mais novo filme da Disney/Pixar: 'Valente'. A história resume-se na brava vontade que a simpática princesa Merida tem de mudar o seu destino. Com volumosos cabelos ruivos e sardas pelo rosto, Merida caminha em sentido contrário às demais princesas fofoletes. Luta pelo que acredita, não permitindo que a tradição de seu povo dite o que ela deve fazer pelo resto de sua vida. Fantástico!

Antes de Merida, algumas outras princesas já mostravam que ser da realeza vai muito além de esperar sentada, bordando e pintando, por um homem de dentes e cavalo branco. Pocahontas era uma índia rebelde, Mulan (minha preferida *-*) uma chinesa corajosa, Tiana uma negra esforçada (num conto de fadas às avessas). Não eram padrões de beleza, fugiam do óbvio, eram donas de si mesmas. E não se desviaram do maior propósito dessas histórias, que é chegar até o amor. Isso, claro, da forma mais romântica possível: por acaso. Sem a mínima obrigação.

Se contos de fadas servem de inspiração para meninas sonhadoras, que sejam, então, sonhos palpáveis e construídos por suas próprias mãos. De utopias, já basta a vida real.

You May Also Like

4 comentários

  1. Sei lá, Mari, eu nunca gostei de desenhos animados. Não sei se porque sou um velho na pele de um menino ou coisa parecida, mas eu nunca fui muito chegado nisso. Mas a ideia de escapar da realidade, mesmo que por meio de um desenho, é tentadora. Admiro muito quem consegue tê-los como inspiração porque eu realmente não consigo! haha

    Beijão!

    ResponderExcluir
  2. eu amo Tiana, sou muito parecida com ela, ainda tem aquela magia que faz toda menina sonhar em ser uma princesa.

    ResponderExcluir
  3. Também amoooo desenhos animados!!!
    Ainda não assisti Valente, mas pretendo fazer isso em breve.
    Pois bem, sonhos construídos a mão, é disso mesmo que precisamos e não vestidos enormes de mangas bufantes ;) rrsrs
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Me identifiquei muito com esse texto! hahaha
    tem como dar uma passada no meu?
    Agradeço :)
    Seu blog é lindo!
    beijos

    http://tatysgd.blogspot.com.br

    ResponderExcluir